Pague Menos, Use Mais

quarta-feira, maio 20, 2015 5/20/2015 12:15:00 PM


Nós sabemos que você pode escolher entre diversos serviços de nuvem --e que descobrir qual é o melhor pode ser uma tarefa difícil. Clientes como Avaya, Snapchat, Ocado e Wix escolheram o Google Cloud Platform devido a nossas inovações, desempenho comprovado e preços flexíveis. Recentemente, anunciamos novos produtos, como o Google Cloud Storage Nearline e o Google Cloud Bigtable, e, hoje, também estamos entrando na briga pelas melhores opções de preço.

Comparado a outros provedores de nuvem, o Google Cloud Platform agora está 40% mais barato para muitos tipos de serviços. Estamos reduzindo os preços de todos os tipos de instâncias do Google Compute Engine e apresentando uma nova classe de máquinas virtuais que entregam capacidade de curto prazo por um valor baixo e fixo. Quando combinado com nossos descontos automáticos, cobrança por minuto, ausência de penalidades para mudança de tipo de máquina e sem a obrigação de assumir compromissos de longo prazo com preços fixos, é fácil ver porque estamos liderando a indústria em termos de preço e de performance.

Redução de preços

No ano passado, assumimos o compromisso que os preços do Google Cloud Plataform seguiriam a Lei de Moore, e, a partir de hoje, estamos reduzindo preços de máquinas virtuais em até 30%.


Configuração
Redução de preço
Standard
High Memory
High CPU
Small
Micro
20%
15%
5%
15%
30%

Mais detalhes sobre os nossos valores estão disponíveis na página de preços do Compute Engine.


Temos reduzido nossos preços desde que o Google Compute Engine foi lançado, em novembro de 2013; juntas, essas reduções de preço já derrubaram o preço da VM (máquina virtual) pela metade.

Apresentando nossas máquinas preemptivas
Para algumas aplicações, podemos ir além: se seu volume de trabalho for flexível, nossas novas máquinas preemptivas irão executar seus serviços de curta duração por um valor 70% mais baixo que as habituais. Máquinas virtuais preemptivas (Preembtible VMs) são idênticas às habituais, exceto na disponibilidade, que está sujeita a ofertas e demandas do sistema. Já que executamos as Preemptible VMs em recursos que estariam ociosos, podemos oferecer preços substancialmente menores. Clientes como Descartes Labs já descobriram que essa é uma ótima opção para serviços como Hadoop MapReduce, renderização de efeitos visuais, análises financeiras e outros trabalhos caros.

É importante frisar que, diferente de outros serviços de nuvem, o preço das Preemptible VMs são fixos -- tornado os custos previsíveis.

Preço de uma máquina virtual Regular n1-standard-1
Preço de uma máquina virtual Preemptiva n1-standard-1
Economia
         $ 0.050 /hora
          $ 0.015 /hora
70%
Para mais informações sobre o preço de Preeptible VMs, acesse o nosso site.

Google Cloud Platform custa 40% menos
Nosso método de cobrança flexível, descontos e a ausência de compromissos pré-pagos, combinados com os preços mais baixos, levam a economia de até 40% no Google Cloud Platform para muitos serviços. Nossa ferramenta de cálculo de custo total de propriedade, ou TCO, permite que você explore diferentes combinações de instâncias de desenvolvimento e de produção, assim como suposições ambientais, mudando o custo total de uma aplicação real hospedada na nuvem.

Muitos fatores influenciam o custo total de uma aplicação real, incluindo a possibilidade de mudanças de design, a taxa de diminuição de preços da computação e se você está atrelado a contratos que estão acima do valor de mercado ou a instâncias que não atendem mais as suas necessidades. Com os modelos de preço dos Google Cloud Platform, você não é obrigado a firmar um compromisso de longo prazo com um preço, um tipo de máquina ou uma região de antemão.

Usemos como exemplo uma aplicação web típica ou mobile backend. Seu ambiente de desenvolvimento oferece suporte para construção e teste de softwares, apresentando cargas robustas diárias de recursos de computação em nuvem. O ambiente de produção lida com tráfego de usuários, com um ciclo de demanda diurno, agrega crescimento ao longo do tempo e deixa um rastro digital maior que o ambiente de desenvolvimento. O ambiente do desenvolvedor seria beneficiado com faturamento por minuto porque ele pode ser ativado e desativado mais rapidamente e você só paga pelo que usar. O ambiente de produção seria beneficiado com os descontos de uso contínuo, até 30% de desconto adicional sem taxa inicial ou compromisso, porque sempre precisa estar ativado.

Esse gráfico mostra como nossos baixos preços e boas práticas podem gerar 40% em economia.


Sua economia exata vai depender da sua aplicação específica, e pode ser maior do que é mostrado aqui. Para ver o impacto dos nossos preços no seu tipo de trabalho, explore nosso TCO Tool. Se você tem dúvidas sobre nossos valores, acesse nossa nova página de preços. Para começar a testar gratuitamente, inscreva-se no nosso programa de teste grátis

Postado por Urs Hölzle, vice-presidente sênior de Infraestrutura Técnica

É Dia Internacional dos Museus: coloque arte no seu browser!

segunda-feira, maio 18, 2015 5/18/2015 02:00:00 PM


Hoje é o Dia Internacional dos Museus, data em que completamos quatro anos do lançamento do Google Art Project. Desde então, começamos a trabalhar muito próximos de centenas de museus aos redor do mundo, para trazer a arte ao universo da internet, apoiando estas instituições na missão de disseminar conhecimento por todo o globo.

A melhor maneira de celebrar esta data especial conosco é fazer o download da extensão Google Chrome do Google Art Project. Lançada recentemente, a extensão permite aos usuários descobrir uma obra de arte diferente, do acervo de um nossos parceiros, toda vez que abrir um novo browser.


Navegando a partir de sua casa ou escritório, você terá acesso a obras-primas que vão das paisagens de Van Gogh em Saint-Rémy, passando pela Gruta Azul de João Baptista da Costa e todo tipo de arte contemporânea, como os trabalhos dos artistas de rua (grafite), mundo afora. Com a extensão Google Chrome do Google Art Project você pode, a cada nova janela, viajar pelo patrimônio cultural mundial.


Para saber mais sobre a obra de arte , o artista ou o museu apresentou em seu navegador, basta clicar no canto inferior esquerdo da imagem para explorá-la na plataforma Instituto Cultural do Google.

Tenha uma ótima navegação!


Postado por Duncan Osborn, Product Manager, Google Cultural Institute

Quando o assunto é segurança, quem é você na internet?

terça-feira, maio 05, 2015 5/05/2015 12:41:00 PM


Você compartilha suas senhas com amigos e até mesmo estranhos? Deixa seus dispositivos desbloqueados o tempo todo? Você usa computadores públicos sem dar logout das suas contas quando termina? Você publica tudo na web sem se preocupar com a repercussão que as coisas podem ter depois?
Se você está preocupado em proteger seus dados pessoais, a resposta para todas essas perguntas deveria ter sido não, principalmente, se você é jovem e faz parte da geração de nativos digitais que está sempre conectada e que cresceu acostumada com o mundo sem fronteiras da web.

Para mostrar que se manter seguro on-line é mais simples do que parece, nós lançamos hoje em Brasília a Expedição Google de Segurança na Internet. Durante uma apresentação divertida e interativa, compartilhamos com os estudantes do Centro de Ensino Fundamental 08 maneiras práticas e simples para usar a web sem se colocar em risco.



Os alunos saíram da apresentação com cinco lições fundamentais que servem para educadores, pais e todos os usuários de internet:
  1. Pense bem antes compartilhar. Às vezes, pode ser bem díficil controlar a maneira como algumas coisas se espalham pela rede;
  2. Proteja seus eletrônicos. Deixe seus dispositivos sempre bloqueados e com as configurações de segurança ativadas; 
  3. Configure suas contas e páginas. Sempre use senhas fortes e conheça os recursos de segurança dos sites que você usa;
  4. Evite golpes. Se parecer falso ou bom demais para ser verdade, dúvide. A chance de alguém estar tentando roubar seus dados é grande;
  5. Seja legal. A internet é um ambiente em que coisas incríveis podem acontecer, por que não ser incrível junto?
A Expedição de Segurança começou nos Estados Unidos e esta é a primeira edição do programa no Brasil. A adaptação do conteúdo da apresentação para a realidade brasileira foi feita em parceria com a Unicef e a Safernet, duas entidades que entendem muito sobre jovens e sobre segurança on-line. Nosso objetivo é levar a apresentação para mais 19 escolas em diferentes cidades do país no prazo de um ano.

Você pode entrar no espírito da Expedição acessando a nossa Central de Segurança que contém todas as dicas ensinadas para estudantes de Brasília e muitas outras para garantir a sua segurança e a da sua família na internet.

Postado por Helena Martins, coordenadora da Expedição Google de Segurança na Internet

Celebrando 10 anos de YouTube

segunda-feira, maio 04, 2015 5/04/2015 03:21:00 PM



No dia 23 de abril de 2005, fez-se história. Um vídeo de 18 segundos sobre como elefantes são legais foi gravado no zoológico de San Diego e enviado para um site de compartilhamento, até então privado, chamado YouTube.

Em maio daquele ano, o YouTube foi lançado em versão beta, antes de ser disponibilizado para o público seis meses depois. Passaram-se dez anos e aquele site se tornou a maior plataforma de vídeos da web, com uma comunidade de mais de 1 bilhão de pessoas, onde centenas de milhões de horas de vídeo são assistidas e bilhões de exibições são geradas diariamente. Além disso, é uma das maiores e mais diversas coleções de expressão individual da história.
O YouTube é um retrato da nossa cultura global, visto pelas lentes e perspectivas de pessoas do mundo todo. É um retrato criado por uma comunidade de indivíduos audaciosos e destemidos. Criado por comediantes, gamers, ativistas, artistas, músicos, professores e pregadores de peças. Criado com gatos e arco-íris e liquidificadores e ninjas e unicórnios. Foi criado com o superficial. Foi criado com o profundo. Foi criado por você.

E, depois de dez anos, você continua a redefinir a maneira como o mundo tem acesso à música, entretenimento e notícias. Como o mundo ri e como o mundo aprende. Como moldamos os eventos políticos e como nos conectamos com as coisas que amamos.
Você ajudou a transformar os criadores nos maiores nomes do entretenimento. Você deu oportunidades para que as pessoas compartilhem suas vozes e talentos, não importa de onde sejam, que idade tenham ou seu ponto de vista. Você criou um mundo onde pequenas ideias podem levar a coisas incríveis e onde coisas incríveis podem trazer pequenas alegrias para cada um de nós.

Sendo assim, em homenagem ao nosso décimo aniversário, estamos celebrando vocês, a nossa comunidade do YouTube. Cada dia, durante todo o mês de maio, vamos usar o nosso Twitter para relembrar alguns dos vídeos mais memoráveis do YouTube, do superficial ao profundo, que vocês compartilharam no YouTube nos últimos dez anos. É o YouTube de A a Z. Literalmente.

Proteja sua Conta do Google com o Alerta de senha

quarta-feira, abril 29, 2015 4/29/2015 02:27:00 PM



Você digitaria seu endereço de e-mail e sua senha nesta página?



Ela é parecida com uma página comum de login, mas é falsa. É o que chamamos de página de “phishing”, um site criado por pessoas interessadas em roubar seus dados pessoais. Se você digitar sua senha neste tipo de endereço, hackers terão acesso a ela e poderão usá-la para acessar sua Conta do Google sem que você fique sabendo. Trata-se de uma armadilha comum e perigosa: os ataques mais eficientes de phishing podem ter sucesso em 45% das tentativas. Quase 2% das mensagens enviadas para o Gmail são projetadas para enganar as pessoas e obter suas senhas ilegalmente. São vários os serviços na web que enviam milhões e milhões de e-mails de phishing, todos os dias.

Para ajudar a manter sua conta protegida, hoje estamos lançando o Alerta de senha, uma extensão gratuita do Chrome e de código aberto que protege suas contas do Google e do Google Apps for Work. Depois da instalação, o “Alerta” exibirá um aviso se você digitar sua senha em um site que não seja uma página genuína de login do Google. Isso irá proteger você contra ataques de phishing, além de incentivar o uso de senhas diferentes para diferentes sites, uma prática recomendada para aumentar a segurança das suas contas.

É assim que funciona para os usuários comuns. Depois de instalar e iniciar o Alerta de senha, o Chrome se lembrará de uma versão “criptografada” da sua senha da Conta do Google. O navegador só se lembrará desta informação por motivos de segurança e nunca a compartilhará. Se digitar sua senha em um site que não seja uma página de login do Google, o Alerta de senha exibirá um aviso parecido com o que apresentamos abaixo. Este alerta mostrará que há o risco de um ataque de phishing para que assim você possa atualizar sua senha e se proteger.


O Alerta de senha também está disponível para clientes do Google for Work, incluindo Google Apps e Drive for Work. O administrador pode instalar o Alerta de senha para todas as contas nos domínios da empresa e receber avisos quando a extensão identificar um risco em potencial. Isso pode ajudar a detectar criminosos tentando invadir as contas de funcionários e também reduzir a reutilização de senhas. Administradores podem encontrar mais informações em nossa Central de Ajuda.


Nós trabalhamos para proteger os usuários contra ataques de phishing de várias maneiras. Estamos aprimorando constantemente ossa tecnologia de Navegação segura, que protege mais de um bilhão de pessoas no Chrome, Safari e Firefox contra phishing e outros sites perigosos, por meio de alertas vermelhos e chamativos. Também oferecemos ferramentas como a verificação em duas etapas e a chave de segurança, que as pessoas podem usar para proteger suas Contas do Google e se proteger on-line. E, claro, você pode fazer uma Verificação de segurança a qualquer momento, para ter certeza que as informações de segurança e proteção, associadas à sua conta, estão atualizadas.

Para mais informações sobre o Alerta de senha, visite a Chrome Web Store ou leia as perguntas frequentes.

Postado por Drew Hintz, engenheiro de segurança, e Justin Kosslyn, do Google Ideas

Desafio MOONBOTS 2015: Conte-nos sua história sobre a lua

segunda-feira, abril 27, 2015 4/27/2015 11:15:00 AM


Você já sonhou em viajar para a lua? Qual tipo de espaçonave você usaria? Como você andaria pela paisagem rochosa? Talvez, você descubra queijo dentro de uma cratera ou finalmente consiga encontrar aquele coelho que você viu de tão longe. Se você possui entre 8 e 17 anos de idade e tem uma história sobre a lua - ou talvez até um plano para pousar por lá - em breve você poderá ter a chance de conhecer exploradores espaciais de verdade.

Ontem, lançamos o Desafio MOONBOTS 2015 para convidar futuros contadores de histórias, pioneiros e exploradores espaciais a projetar, criar e programar sua própria sonda espacial. Lançado em 2010, o MOONBOTS é uma competição internacional on-line que foi inspirada no Google Lunar XPRIZE e que desafia jovens do mundo todo a contar suas histórias sobre a lua e trazê-las à vida por meio da ciência.

Para participar do Desafio MOONBOTS, jovens em times de dois a quatro integrantes precisam primeiro enviar um vídeo curto ou um texto escrito contando o que os inspira sobre a Lua, de mitos antigos às vantagens de retomar a exploração lunar. Trinta equipes serão selecionadas por um painel de especialistas e avançarão para a próximo fase: o desafio de robótica. Os times receberão kits para montar e programar suas próprias sondas espaciais. Depois disso, as sondas terão que executar uma missão inspirada na história que as equipes contaram e num cenário que simula a paisagem lunar.

Os três vencedores do prêmio principal ganharão uma viagem ao Japão, para se encontrar com os exploradores espaciais que estão competindo no Google Lunar XPRIZE. Os jovens descobrirão como as equipes do Google Lunar XPRIZE planejam chegar à lua utilizando soluções de robótica inovadoras.

Ao inspirar e incentivar jovens pensadores científicos, esperamos ajudar no desenvolvimento de uma nova geração de solucionadores de problemas, inovadores e exploradores espaciais.

Publicado por Rafael Corrêa, apaixonado pelo espaço e gerente de comunicação no Google Brasil

Mudança de ranking do Google privilegia sites mobile

quarta-feira, abril 22, 2015 4/22/2015 03:17:00 PM

Todos já passamos por isso: você está usando o telefone celular e, ao acessar um site, descobre que ele é difícil de ler e de navegar porque não está formatado para a tela de um dispositivo móvel. Com os celulares se tornando cada vez mais a principal porta de acesso à internet, queremos garantir que, quando você fizer uma busca no Google, encontrará conteúdo não só relevante e oportuno mas também fácil de ler e de interagir --até em telas pequenas.

Tornar os sites mais flexíveis também é uma questão para quem publica: cada vez mais, os visitantes abandonam as páginas que não são para mobile. Uma pesquisa mostra que 74% dos usuários são mais propensos a voltar a um site que seja para mobile.

É por isso que temos incentivado webmasters a criar páginas que evitem armadilhas como texto pequeno. Em novembro, nós introduzimos um certificado "mobile-friendly" para notificar os usuários quando um link nos resultados de pesquisa leva a uma página mobile e também fornecemos recursos para ajudar os webmasters nessa tarefa.

Exemplos de um site não-mobile (à esq.) e um mobile

Estamos começando, agora, a implantar uma mudança que anunciamos há dois meses para levarmos em conta se um site é adequado a mobile classificarmos os resultados de buscas feitas a partir de celulares. Este é só um dos mais de 200 fatores que levamos em conta para elencar os resultados. Os sites não-mobile não vão desaparecer dos resultados de busca --eles, inclusive, ainda aparecerão em posições altas se possuírem um conteúdo relevante para o usuário.

Desse jeito, se você usar a pesquisa do Google no seu celular, poderá encontrar mais facilmente resultados de alta qualidade e relevantes em que o texto é legível, os elementos clicáveis estão adequadamente espaçados e a página evita o conteúdo que não pode ser reproduzido e rolagem horizontal.

Em apenas dois meses (desde que anunciamos a mudança), nós vimos um aumento de 4,7 pontos percentuais na proporção de sites para dispositivos móveis --e esperamos ver ainda mais em breve.
A boa notícia para os publicadores é que o site não precisa ser caro ou demorado: pode ser tão simples como ajustar as configurações ou escolher um novo design de que você gosta. Mesmo se optar por redesenhar totalmente seu site, 10 a 20 páginas podem ser revistas em um ou dois dias.

Webmasters podem verificar se o seu site é mobile examinando páginas individuais com o Teste de Compatibilidade com Dispositivos Móveis ou o relatório de Usabilidade Móvel no Webmaster Tools. Uma vez que um site se torna mobile, nós o reprocessaremos automaticamente (e webmasters podem acelerar o processo solicitando ao Google um novo rastreamento de URLs).

Postado por Cody Kwok, engenheiro de software do Google

Mito ou monstro? Explore o Lago Ness com o Street View

4/22/2015 01:59:00 PM


Como acontece com as melhores lendas do mundo, o monstro do Lago Ness transcende o cotidiano e existe nas fronteiras do mundo real. Ele está acima dos boatos e das farsas; dos argumentos e contra-argumentos; do turismo, do nacionalismo e acima até mesmo de planos de assassinato. Ele vive por meio da contação de histórias. Acredite ou não, a maioria das pessoas têm uma visão romantizada da criatura que, diz a lenda, sonda as profundezas do lago. Carinhosamente conhecido como "Nessie", ela existe no folclore, na dança, na imaginação das crianças e se infiltra em nossa sociedade e ensinamentos inspirando tudo: desde a música pop, passando pela cultura pop e o pulp fiction.



Em 1934, foi divulgada a fotografia tirada pelo cirurgião R.K. Wilson, afirmando ao mundo a existência do monstro que reside nas águas nebulosas do Lago. Esta é a foto mais icônica da história do Lago Ness – e pode ser um dos hoaxes mais bem elaborados da nossa época. E hoje, para comemorar o aniversário desta divulgação, estamos trazendo para o Google Maps a galeria do Street View com imagens em 360 graus do Lago Ness. Assim, você pode fazer sua própria busca pela Nessie.



Navegue pelo lago de água doce e aprecie sua beleza assombrosa, ainda mais sombria por causa das partículas de turfa encontradas em suas águas. Deixe o Lago desbloquear o espírito de sua imaginação e veja como a ondulação d’água, os truques de luz e as toras à deriva trazem a lenda de Nessie à vida. Adrian Shine, líder do Projeto Lago Ness & Morar, está engajado neste trabalho de campo nas Terras Altas desde 1973 e é parte essencial desta coleção do Street View. Como um verdadeiro especialista no Lago Ness, Shine já registrou mais de 1.000 aparições da Nessie e oferece explicações científicas que explicam o porquê das pessoas afirmarem com tanta veemência ter visto a misteriosa criatura da Escócia.


Formado por uma série de corpos-d'água convergidos, incluindo o rio Oich ao sul e o Bona Narrows ao norte, o Lago Ness se estende por 23 km ao sudoeste de Inverness. Embora não seja o maior lago escocês por área de superfície ou por profundidade, ele é o maior em volume, contendo mais água doce em suas reservas do que todos os lagos da Inglaterra e do País de Gales combinados. E, em quase 800 metros de profundidade, há todo um mundo abaixo da superfície, dando origem à lenda de Nessie.




Para tornar possível o seu passeio pela região submersa do Ness, nossos parceiros do Instituto Catlin Seaview mergulharam nas águas profundas do lago, coletando imagens ao longo do caminho. Você pode imaginar a Nessie aninhando-se dentro destas águas escuras, cheias de turfa, à espera do momento certo para romper a superfície para encontrar a luz do sol escocês.


Mergulhador do Instituto Catlin Seaview coletando imagens subaquáticas do Lago Ness


Independente do lado que você apoia quando o assunto é o Lago Ness, a lenda permanece viva – mesmo na era digital. Há mais pesquisas sobre o Lago Ness do que há para outras instituições do Reino Unido como o Palácio de Buckingham e o Peak District. E, como hoje nós celebramos o Lago Ness com um Doodle, esperamos que você possa aproveitar uma das galerias mais cheias de história e com imagens de tirar o fôlego que as Terras Altas têm a oferecer com o Street View no Google Maps.

Publicado por Sven Tresp, Gerente de Coleções Especiais do Street View

Street View retrata cela em que Mandela esteve preso

4/22/2015 12:10:00 PM


Em 27 de abril de 1994, Nelson Mandela se tornou Presidente da África do Sul na primeira eleição democrática após o apartheid. Conhecida como "Dia da Liberdade", a data se tornou um símbolo de esperança na África do Sul e em todo o mundo. Para comemorar a data, fizemos uma parceria com o Museu da Ilha de Robben e o Centro de Memória Nelson Mandela para mostrar ao mundo esse Patrimônio da Humanidade tombado pela UNESCO. 

Com a galeria de imagens do Maps e o tour on-line do Instituto Cultural, pessoas de qualquer lugar do planeta podem ver a ilha onde Nelson Mandela e muitos outros combatentes da liberdade ficaram presos durante a luta pela igualdade.

Símbolo da luta sul-africana pela liberdade, a Ilha de Robben se tornou um destino obrigatório para pessoas que querem se conectar com Mandela e outros combatentes da liberdade. Ao entrar na cela de 2m x 2m, é difícil entender como alguém conseguiu passar 18 anos ali. Explorando artefatos históricos no tour, você também poderá ver fotos da cela durante o período em que o líder africano estava preso. Você pode imaginar Mandela sentado na mesinha apertada, cercado por livros e papeis, trabalhando em prol de um futuro de liberdade para todos.



Também foi na Ilha de Robben que o ativista Robert Sobukwe ficou preso, mantido em solitária por mais de três anos após se opor ao Pass Law, uma lei que exigia que cidadãos negros andassem com passaportes internos, limitando dramaticamente sua mobilidade. Explorando a casa de Sobukwe na Ilha de Robben, é possível aprender mais sobre o homem que não deixou a prisão frear suas tentativas de tornar liberdade uma realidade. Você pode até ver páginas de seu caderno de anotações, que ainda é mantido em sua mesa até hoje.



Na nova exibição on-line da plataforma do Instituto Cultural, você também pode ouvir histórias pessoais de prisioneiros sobre a vida na prisão, incluindo memórias de quando eles foram forçados a trabalhar e histórias de como eles estudaram e se juntaram para criar uma visão unificada para a liberdade na África do Sul. É possível ver também alguns itens pessoais doados por antigos prisioneiros, incluindo um troféu do torneio de futebol interno reconhecido pela FIFA, prêmios desenhados à mão para torneios de tênis de mesa, um trompete e uma cópia da chave-mestra feita de chumbo por um prisioneiro.



Uma vez símbolo do regime opressor do apartheid, a Ilha de Robben é hoje um memorial do espírito humano e sua incansável busca pela liberdade. Esperamos que você embarque nessa viagem pelo tempo, explore e se inspire com as histórias de esperança e humanidade da ilha.

Postado por Luke McKend, Country Director for Google South Africa